Faça seu cadastro para receber as novidades do
Leandro Lourenço no seu e-mail.
Arquivo da tag: Camisas
Postado em: 21 de janeiro de 2013 - Publicado em Alfaiataria, Camisas

Colarinho Inglês:

É um colarinho mais alongado e pontiagudo, traz um toque moderno para o look formal. Combina muito bem sem gravata, com ternos slim fit ou 2 botões. É uma opção que ajuda a alongar o rosto!

Colarinho Italiano:

Geralmente é mais curto e têm as pontas mais abertas, é ideal para usar com gravatas com nós maiores. Não é aconselhável para homens de rosto gordinho, pois tendem a achatar.

Colarinho americano:

Um colarinho também conhecido como button-down, pois tem um botão de cada lado. Serve para ocasiões mais informais e é uma ótima opção para um look sem gravata.

Colarinho francês:

É o mais básico e comum de se encontrar, nem muito alongado nem muito aberto. Combina com todos os formatos de rosto e tipos de terno.

Colarinho quebrado:

Um colarinho obrigatório caso o traje seja black tie. Combina perfeitamente com um kit plastron ou uma gravata borboleta.

Colarinho curto:

Novidade que combina muito bem com gravatas bem estreitas (modelo slim) e ternos modernos e ajustados. Ideal para quem está magro e quer ousar num look formal.

Tags: , ,
Postado em: 28 de novembro de 2012 - Publicado em Acessórios, Alfaiataria, Camisas, Moda Masculina, Verão

Tamanho

Os tamanhos das camisas prontas se apresentam por numeração (1, 2, 3, 4, 5 etc.) ou pelo famoso P, M e G. As camisas sociais ainda podem ser escolhidas de acordo com a circunferência do pescoço e, neste caso, temos as numerações como 38, 40, 42, 44, assim por diante. Já nas camisas sob medida, todas as partes das camisas serão confeccionadas com base nas medidas de quem vai usá-la.

Colarinho

Opte pelo colarinho adequado ao seu rosto e na medida certa do seu pescoço.

- Francês ou 1/2 Italiano: muito usado e bastante versátil, pois combina com quase todos os formatos de rosto.

- Italiano: curto e aberto, é ideal com um nó de gravata maior e mais volumoso. Muitos homens têm usado o colarinho italiano mesmo sem gravata. É uma opção para quem quer se diferenciar, porém não é ideal para quem gosta de um colarinho mais robusto, porque o modelo deixa o colarinho mais curto. Vai bem para rostos finos, alongados ou ovais.

- Inglês: mais pontudo. É usado normalmente por quem gosta de criar um estilo diferenciado, pois é alongado e estreito. Ótimo para rostos ovais, redondos ou quadrados.

- Americano: tem botões aparentes e é usado em versões casuais, porém há quem goste de usá-lo com gravata, como o empresário Eike Batista. Combina com todos os tipos de rostos.

- Curto: mais atual e moderno. É normalmente usado por quem gosta de um visual minimalista, ideal para usar sem gravata ou com gravatas bem estreitas e de seda mais fina. Bom para rostos médios ou pequenos. Evite usar se você é muito alto e grande.

- Arredondado: muito usado antigamente. Está ressurgindo em versão mais curta e baixa. Essa nova proposta sai do ar romântico para um estilo mais moderno. Bom para rostos médios ou pequenos. Evite de usar se você é muito alto e grande.

O ideal é que haja um dedo de folga entre o colarinho e o pescoço para não apertar muito, nem deixar muita sobra, caso use uma gravata. Dê preferência aos colarinhos que possuem barbatanas removíveis. Dessa maneira, você pode retirá-las para lavar e recolocar depois de passadas. Assim, o colarinho nunca vai ficar com as pontas uma para cada lado.

Punho

Deve ter cinco centímetros a mais que a medida exata da circunferência do seu pulso. Caso você use com relógio, ele deve se encaixar sob o punho, sem apertar. Entre os formatos mais comuns temos o simples, que tem as pontas arredondadas e é o mais clássico de todos; o chanfrado com corte nas pontas; e o reto, que é o mais moderno.

Ele pode ser fechado com um ou dois botões; reversível, quando é possível abotoá-lo com os botões ou com abotoaduras; ou duplo, que é usado com abotoaduras.

Ombro

Olhe no espelho e repare se os ombros da camisa estão proporcionais ao seu corpo. Uma dica para saber onde termina seu ombro é apalpar com a mão até sentir aquele osso quase na ligação com o braço. É neste ponto que a costura da camisa deve estar.

Torax

O ideal é que não sobre nem falte tecido nessa região do corpo. Do contrário, você vai ficar desconfortável usando uma camisa apertada ou poderão aparecer algumas pregas quando estiver com paletó ou casaco.

Para uma camisa de modelagem regular, ou seja, nem muito folgada nem muito justa, o ideal é que tenha aproximadamente dez centímetros além da medida exata da circunferência do tórax. Esta é uma folga adequada para dar mobilidade para quem usa a camisa e deixá-lo com aspecto elegante. O mesmo vale para cintura e quadril.

Manga

Solte o botão do punho da camisa, estique o braço e repare no comprimento da manga da sua camisa. O ideal é que o punho esteja entre dois e três centímetros abaixo do pulso (com as mãos fechadas) ou que o punho encoste-se à base do polegar. Não deixe que a manga da camisa, depois de abotoado o punho, fique com mais de três ou quatro centímetros de sobra. Mais do que isso é sinal de que sua manga está comprida demais.

Se você não gosta de nenhuma sobra de tecido nas mangas das camisas, vale lembrar que ao esticar o braço as mangas parecem mais curtas, quando estiver dirigindo, por exemplo.

Comprimento

Proporção é fundamental. Se for usar a camisa para fora da calça, o ideal é que esteja com o comprimento no máximo até o meio do zíper da calça ou bermuda. Alguns homens preferem os modelos mais curtos, mas é importante que esteja abaixo da linha do cós da calça, para que a barriga não apareça caso levante o braço, por exemplo.

No caso de camisas sociais, que tem uso para dentro da calça, o comprimento deve chegar até o final do zíper ou do cavalo da calça. Atenção para o comprimento da camisa, de modo a evitar de ficar com a barra saindo da calça por mais leve que seja o movimento que venha a fazer.

Tecido

Uma boa camisa deve ser feita com tecido 100% algodão, ou seja, totalmente com fibras naturais. Elas deixam o tecido “respirar” e permitem a boa troca de calor. O linho é outro exemplo de tecido natural ótimo para o verão.

No caso das peças com listras ou em xadrez, você deve reparar se a padronagem está em harmonia tanto na parte da frente quanto na de trás, observando principalmente as laterais. É comum vermos listras bastante desalinhadas nesta parte. Isto é sinal de baixa qualidade no corte e montagem da camisa.

Botoes

O importante é observar a prega dos botões. Prefira as camisas que não apresentem linhas soltas entre os buracos dos botões, pois se um fio estiver solto, basta um puxão para que o botão caia na sua mão. Os pregados com a linha de forma cruzada são os melhores.

Costura

Normalmente costuras com pontos mais largos e mais espaçados uns dos outros traduzem camisas casuais. Já camisas com as costuras e pontos menores sugerem um estio mais clássico. De um modo geral, as camisas com costura de boa qualidade tem de seis a sete pontos por centímetro.

Crédito da notícia: mulher.uol.com.br

Tags: , , ,
Postado em: 16 de agosto de 2012 - Publicado em Camisas

A Seleção Brasileira não tem tido camisas à sua altura. Os últimos dois uniformes inovaram na mesma medida que desagradaram. Primeiro, uma faixa horizontal no peito completamente inexplicável. Agora, um detalhe grande demais nas mangas. O acerto veio nesta quarta-feira (15), no amistoso contra a Suécia. Os brasileiros vestiram uma camisa azul de algodão, numa belíssima réplica da utilizada na decisão da Copa do Mundo de 1958.

Às vésperas da decisiva partida que lhe daria o primeiro título mundial, o Brasil descobriu que não poderia usar a camisa amarela, mesma cor do uniforme dos suecos, os donos da casa. Paulo Machado de Carvalho, o chefe da delegação brasileira, saiu às pressas para resolver o problema. Mas que cor seria adotada? Verde, branco ou azul? A terceira opção, por ser o tom do manto de Nossa Senhora, teria dito o dirigente. Mito ou não, a história foi tomada como verdade.

Tags: , , , ,
beagle--logo
logo8
logo7
logo6
logo4
logo3
logo1
logo2