Faça seu cadastro para receber as novidades do
Leandro Lourenço no seu e-mail.
Arquivo da tag: Moda Masculina
Postado em: 29 de outubro de 2012 - Publicado em Dicas, Perfumaria
Quando falamos de perfume, estamos lidando com inúmeras marcas, nacionalidades, fragrâncias e mesmo com fetiches. Alguns preferem os importados por serem mais sofisticados, uns preferem a marca X pois é o perfume que tal pessoa usa, outros acham os perfumes nacionais tão bons quanto os internacionais. Uma coisa é certa, o perfume que cai bem no amigo e você achou interessante comprar não necessariamente cairá bem em você, a combinação entre o perfume e a pessoa é algo que está relacionado à química da sua pele, ao calor e ao PH, por exemplo.

Fougères aromáticos: Os ingredientes mais usados são alecrim, sálvia, lavanda, tomilho e musgo de carvalho , que combinam com notas cítricas, amadeiradas e de patchuli. As ervas aromáticas são para personalidades fortes que valorizam a aventura, a coragem, o entusiasmo, e a busca por estar sempre se destacando. Homens criativos, ativos, curiosos e fortes se dão bem com esse tipo de fragrância. Inclusive as embalagens desses tipos de perfume buscam enfatizar essas características.

Fragrâncias amadeiradas: São para os homens clássicos. Baseados no sândalo ou no patchuli estes perfumes são quentes, se baseados no cedro ou no vetiver seu aroma é mais seco. A fragrância amadeirada busca notas cítricas e de especiarias. São para os homens sofisticados e refinados. Charmosos e cheios de orgulho de seu próprio estilo e aparência.

Fragrâncias cítricas: São para os homens esportivos e versáteis. Seus principais compostos de notas cítricas são o limão, a bergamota, a tangerina, a lima, a laranja, a tangerina e o grapefruit. Denota frescor e é bem suave, mas ganha um caráter viril graças às especiarias combinadas. Combinam com esse perfume homens que apreciam a natureza, a vida ao ar livre e as atividades lúdicas e físicas

Fragrâncias orientais: A sofisticação do tabaco, do âmbar, das resinas e madeira suavizada por notas aromáticas e cítricas. Nas fragrâncias orientais são usadas especiarias doces e marcantes. São perfumes que combinam com uma personalidade forte, passional, sensual e ao mesmo tempo doce.

Aplicação: Não use o perfume no corpo todo. Não é por acaso que existe o hábito de passar perfume nos punhos, atrás das orelhas e nos cotovelos: são áreas onde o sangue circula mais, naturalmente exalando mais o aroma. O jato do spray deve estar cerca de 30 cm de distância na hora da aplicação.

Tags: , , ,
Postado em: 21 de agosto de 2012 - Publicado em Camisas, Dicas, Homem

A camisa polo masculina fugiu das quadras de tênis para as ruas no final da década de 20 com seu precursor, o tenista René Lacoste, por esbanjar conforto, elegância e praticidade, desde então nunca mais a camisa polo saiu do guarda roupas dos homens. Saiba de forma simples como vestir as roupas certas para criar um estilo mais moderno e chamar a atenção da mulherada pelo seu bom gosto. Sim, porque mulher nenhuma resiste a um homem bem vestido, cheiroso e inteligente que a faça sorrir. Siga nossas dicas sobre moda masculina e a parte do “bem vestido” ficará ok, pois nós te ajudamos.

Dicas para usar Camisa Polo

A camisa tem seu papel como o clássico mor do guarda roupa masculino e a polo segue essa pegada te dando uma possibilidade de várias combinações para sair por aí lindo e tudo de bom para o deleite das mulheres. A camisa polo de manga curta junto com calça jeans e tênis fica informal e te acompanham ao trabalho, se a etiqueta do office permitir. A polo listrada pode fazer par com bermuda e mocassim ou se preferir com sandálias de couro.

Já a de manga longa é ideal para o inverno ou para o ano todo se onde você trabalha o ar condicionado é bem frio. Uma dica para ficar mais atual é misturar a camisa polo listrada com uma camisa xadrez e por cima uma jaqueta jeans, cuide para as cores das listras não ficarem duelando com as do xadrez, olhe no espelho antes de sair de casa para ter certeza de que ficou legal.

Dê uma ajeitada na gola e puxe um pouquinho para cima se quiser ficar mais cool. Se você faz o estilo Geek e já caprichou nos óculos para garantir seu ar mais nerd possível, escolha uma polo que faça seu estilo e combine com um jeans mais surrado ou se for para uma reunião importante vá com uma calça mais escura, sem esquecer do tênis. Homens, aproveitem bem as camisas polos e garantam o estilo que as mulheres adoram.

Tags: , , , ,
Postado em: 16 de agosto de 2012 - Publicado em Acessórios, Homem, Moda Masculina

O cardigã é uma peça injustiçada. Tem extrema relevância no guarda-roupa masculino, mas muitos o consideram coisa de vovô ou opção de moderninhos. A verdade é que sempre será um clássico – e indispensável na vida de um gentleman. Como todo bom clássico, volta e meia ganha uma modernizada ou repaginada. A cada troca de coleção há novidades: abotoamento duplo, listras ou xadrez, golas em forma de xale… No verão, as versões de algodão ou de tricô mais leve entram em campo.

Esse grande coringa vestiu Sean Connery em Os Intocáveis, que combateu a máfia com um modelo de lã cinza. David Beckham sempre vai de cardigã quando quer um visual no meio do caminho, nem tão arrumado, nem tão largadão. E Daniel Craig, que carrega a elegância de James Bond, também está aí para confirmar a relevância da peça.

Se você ainda tem dúvidas sobre como usá-lo, vamos resolver de uma vez essa questão. O cardigã substitui aquele tricô de sempre, dá graça ao look e vai bem dentro e fora do escritório. A combinação costume, cardigã, camisa e gravata tira a mesmice em dias mais frios. Fora do trabalho, combine-o com camisetas lisas e camisas casuais, com ou sem gravata, jeans ou calça de sarja. Ele resolve o problema do ar condicionado do cinema, substitui o blazer em momentos informais, deixando você alinhado. Ainda não é adepto? Comece comprando um modelo básico, cinza ou azul, que combinará com todas as suas roupas. E não esqueça, use o último botão sempre aberto.

Tags: , , ,
Postado em: 13 de agosto de 2012 - Publicado em Homem, Moda Masculina
Tags: , , ,
Postado em: 9 de agosto de 2012 - Publicado em Carros, Moda Masculina

Ferrari é como uma bela garota, que faz você se apaixonar à primeira vista”, diz Luca di Montezemolo, presidente da empresa, um elegante aristocrata. Por quase 40 anos, ele vem dedicando sua vida a amplificar tanto o apelo sexual quanto as vendas da Ferrari. Responsável por resgatar a marca da quase falência nos anos 1990, Montezemolo a transformou na mais rentável fabricante de automóveis de luxo no mundo. Tais feitos alçaram esse senhor de 64 anos a herói na Itália. Alinhado, articulado e dinâmico – com o título oficial de marquês de Montezemolo –, ele goza de reverência quase papal por ter devolvido a grandeza a uma instituição nacional. Luca di Montezemolo personifica o que os italianos chamam de “la bella figura” – algo que envolve não apenas beleza física, mas também sensibilidade estética, estilo e apreço pela boa vida. Dez anos atrás, uma revista italiana entrevistou mil mulheres pedindo-lhes que descrevessem seu exemplo de beleza masculina ideal. Entre os listados, Montezemolo aparecia em terceiro, atrás de Sean Connery e Harrison Ford. Ele reagiu à notícia reclamando: “Não sou uma estrela do rock, eu sou um empresário”.

No entanto, Montezemolo sabe que é de sex appeal que a indústria de carros de luxo trata. Impecavelmente vestido, envolvente, sempre com um largo sorriso, ele cultiva uma imagem altamente polida. Mesmo sendo audaz e arrojado nos negócios. Nascido em 1947, em Bolonha, de uma tradicional família piemontesa, o filho mais novo do conde Cordero Montezemolo – cuja família serviu a Casa Real de Saboia até sua dissolução, em 1946 – se beneficiou de uma educação de primeira classe. Teve também fundos ilimitados para financiar uma tentativa de curta duração como piloto, dirigindo para a equipe Rally Lancia na década de 1960. Ao perceber que nunca chegaria à Fórmula 1, porém, ele partiu para Nova York e estudou direito na universidade de Columbia.

No retorno ao lar, não teve dificuldades em achar um emprego. Seu pai era um velho amigo de Gianni Agnelli, na época o homem mais rico da Itália, proprietário do império que fabricava – entre outras muitas coisas – os automóveis Fiat. O moço correspondeu e, em 1973, ansioso para dar ao rapaz a chance de provar a si mesmo, Agnelli disse a Enzo Ferrari que ele precisava adicionar sangue novo à sua empresa e o transferiu para sua divisão. Chamado a Maranello, local da fábrica, Luca virou assistente pessoal do patriarca e fundador, aos 26 anos.

Ganhou a confiança de Enzo Ferrari e, em 1975, foi alçado a diretor-gerente das atividades esportivas da Fiat, o que incluía a divisão de corridas da Ferrari. Sob sua liderança, a escuderia conquistou dois campeonatos mundiais com Nikki Lauda, em 1975 e 1977 – e Montezemolo virou diretor-sênior da companhia. Após exercer vários cargos em diferentes áreas do conglomerado, voltou à Ferrari, após a morte de seu fundador, em 1988. “Quando assumi, vi que as pessoas haviam se acostumado a dizer: ‘Nós somos Ferrari’, o que significa que podemos descansar em nossa reputação, sem abrir as janelas para o mundo e tentar melhorar.” Mas a linha de produtos sofria com problemas tanto de design quanto de engenharia. “Após a Copa do Mundo (de 1990, que Montezemolo ajudou a organizar), decidi premiar-me com uma Ferrari amarela 348. No dia seguinte à entrega do carro, eu estava esperando em um cruzamento e ao meu lado havia um Fiat Strada Hatchback. Ambos aceleramos quando o sinal ficou verde, e o cara do Fiat me ultrapassou. Soube naquele instante que havia algo de muito errado na Ferrari”, conta.

Ele iniciou então um processo de reestruturação violento, contratou os melhores técnicos e engenheiros e apostou numa estratégia dupla: investir pesadamente na Fórmula 1 e usar a escuderia para liderar uma miríade de avanços tecnológicos. Contra os protestos de alguns dos executivos financeiros, investiu 80 milhões de dólares – uma soma colossal para uma empresa indo à falência – para atualizar a fábrica da Ferrari. Montezemolo também montou o time dos sonhos de Jean Todt (chefe de equipe) na Fórmula 1, com Ross Brawn (engenheiro) e Michael Schumacher, que passaria a ganhar cinco vezes consecutivas campeonatos com a Ferrari, um nível sem precedentes de dominação. As vitórias pavimentaram o caminho para um marketing mais agressivo, e as vendas de carros tiveram um aumento constante. A Ferrari tornou-se, de longe, a divisão mais lucrativa dentro do Grupo Fiat nos anos 1990. O “Cavallino Rampante” foi mais uma vez símbolo de orgulho nacional e excelência. E Luca di Montezemolo manteve intacta, como até hoje, sua reputação de eficiência – sem jamais perder o glamour.

Tags: , , ,
Postado em: 8 de agosto de 2012 - Publicado em Dicas, Moda Masculina

Com a moda masculina a tornar-se tão importante, relevante e lucrativa como a moda feminina foi nos últimos 50 anos, muitos homens ficam para trás ou simplesmente não sabem por onde começar. Muitos homens tendem a ficar com o mesmo estilo ou andam de moda em moda sem saber o que vestir. Nenhuma dessas duas coisas são uma solução garantida.

Na maioria das vezes os homens mantém os hábitos maus que foram apanhando e continua a aplicá-los com cada compra nova de roupa que fazem… É aqui que entra o Moda Masculina! Se você precisa de dicas de moda eu vou explicar tudo o que você precisa saber. Você vai aprender como construir um guarda-roupa diverso para qualquer ocasião sem fazer os erros que tantos homens fazem.
O Mais Importante É a Medida

Antes de começarmos a falar de roupa é necessário aprofundar uma coisa que a maioria dos homens faz ou muito bem ou muito mal; estou a falar do tamanho da roupa e da forma que ela assenta no seu corpo. Seja um fato, t-shirt, camisa, camiseta ou calças jeans, a forma como elas assentam no seu corpo é a diferença entre ter um visual cheio de estilo ou um desastre total.

Todos sabemos como é um homem que não sabe escolher o tamanho certo. Parece que pediu roupa emprestada ao pai. Ou é o tipo que parece que a roupa encolheu na lavagem. Não são só os homens maiores que tem este problema, mesmo os magros também podem ter roupa justa demais.

Mas como é que você pode saber se a sua roupa não lhe assenta bem? Existem algumas dicas para identificar isso de forma rápida e eficaz:

Camisas. Marcas à volta dos botões ao do peito, excesso de tecido à volta da cintura (deve haver uma linha recta de baixo do braço para baixo), as mangas devem acabar no inicio do polegar.
Calça Jeans (cintura). Para encontrar as calças jeans certas não é fácil. Tem tudo a ver com o formato do corpo e com a preferência pessoal. Há quem goste de calças jeans muito justas porque acham que faz parte do visual e outros gostam do visual mais confortável. Independentemente disso a cintura deve ser sempre do tamanho certo, a calça jeans deve assentar perfeitamente na cintura ou ter uma folguinha leve. Pode comprar jeans um tamanho acima para dar aquele visual de gangsta mas nunca mais do que uma medida acima senão é preciso apertar tanto o cinto que faz o material da calça ficar dobrado. Se está com dúvidas sugiro uma calça jeans straight ou slim fit porque são as mais versáteis e combinam com vários tipos de sapatos masculinos.
Calça Jeans (comprimento). Outra coisa importante na seleção de uma calça jeans é o seu comprimento. A maioria das marcas criam 3 comprimentos: curta, regular e comprida – você escolhe conforme a sua altura. A bainha das jeans devem sempre tocar no sapato ou ténis e ter uma pequena dobra no fim. A forma como eu gosto de medir o comprimento da calça jeans é descalço e as jeans chegam mesmo acima do calcanhar. Depois quando se calça os sapatos vai haver uma pequena dobra que chega para cobrir as meias (nada de visuais como o Michael Jackson) sem ter excesso de tecido dobrado no final.
T-shirts e Camisetas. A coisa mais importante é não ter mais do que 1 centímetro da barriga à mostra quando esticar os braços para os lados e para cima. Se a camiseta fica desconfortável e começa a fazer dobras em sítios estranhos deixe na prateleira.

Estas são as dicas de moda masculina mais básicas e mais importantes de seguir. Em outros artigos vou falar de usar roupa com medidas mais largas para criar estilos e visuais diferentes. Em certas ocasiões podemos ter uma calça maior ou mais largas – estas técnicas avançadas merecem um artigo próprio.

Roupa Que Serve

A imagem acima mostra como as roupas devem servir. Em todos os exemplos a roupa segue as linhas do corpo sem estar demasiado apertada, a roupa está com o tamanho certo e parece que foi feita à medida de cada pessoa. Eu inclui o David Beckam para mostrar que se pode vestir uma calça jeans confortável que também está com o tamanho certo.

Na cintura não há dobras ou excesso de tecido, mas a calça ainda está confortável na perna. Você deve sempre deixar a calça jeans com o seu corte específico fazer o seu trabalho e deve evitar mudar a sua medida habitual para forçar uma forma. Um visual deve ter linhas claras e a roupa deve ter o tamanho certo sem estar demasiado apertada.
Roupa Que Não Serve

Estas imagens mostram alguns exemplos extremos roupas qua não servem. Desde uma camisa com excesso de tecido, um casaco que parece um quadrado sem a forma do corpo e calças ou jeans demasiado compridas. Você não deve copiar nenhum destes visuais.

As Dicas Mais Importantes

O meu conselho para rectificar estes erros é simples. Depois de identificar as peças de roupa que não assentam bem, JOGUE FORA! Dê a uma instituição de caridade, um amigo ou a um pedinte na rua. Não interessa o que faz com a roupa desde que ela saia do seu guarda-roupa.

Se depois disso o seu guarda-roupa estiver vazio então vá às compras e desta vez escolha peças com um formato que assenta no seu corpo. Esta é a chave de tudo isto. Cada vez que comprar uma peça de roupa nova pense bem nisto.

Independentemente do seu tamanho ou forma, independentemente da moda, cada peça de roupa que você comprar vai assentar no seu corpo e isso vai melhorar muito o seu visual. Para saber mais continue a ler os outros artigos sobre como construir um guarda-roupa básico com peças variadas e versáteis, para você se tornar no homem com estilo que merece ser.

Tags: , ,
Postado em: 7 de agosto de 2012 - Publicado em Moda Masculina

O Dia dos Pais teve origem na antiga Babilônia, há mais de quatro mil anos. No Brasil, a criação da data é atribuída ao publicitário Sylvio Bhering, em meados da década de 1950, e de lá para cá passou a ser comemorada no segundo domingo de agosto. Se você está com dúvidas sobre o que dar de presente, a moda é sempre uma boa aliada.

A ideia de separar os presentes por estilo tem como objetivo facilitar a sua escolha, mas não precisa seguir à risca as sugestões deste modo. Caso você ache que seu pai está meio fora de forma, mesmo ele sendo tradicional, um tênis pode servir de incentivo para que ele comece a se exercitar, por exemplo. Se seu pai é do tipo esportivo e não dá muita bola para a moda, uma camisa xadrez pode ser uma boa pedida para ele dar uma levantada no visual. Vai da sua percepção e da peculiaridade do pai.

Peças casuais são boas para os todos os tipos de pais
Seu pai é do tipo que trabalha demais e não tem tempo para mais nada? Dê de presente peças que ele possa usar para ir ao cinema ou sair com os amigos, como camisa xadrez, que não sai de moda, calça jeans, sapato menos formal ou um tênis casual, camisa polo colorida, ou seja, tudo que não lembre o escritório. Caso ele já adote o estilo casual, uma bolsa carteiro ou uma bolsa para viagens rápidas, podem ser boas opções para completar seu visual. De qualquer modo, é o tipo de presente que não tem erro, porque cai bem para todos os homens.

Tênis, camisetas e bermudas são opções esportivas para dar de presente
Seu pai está precisando de uma “forcinha” para começar a praticar esportes? Pode começar com um tênis para caminhada ou corrida, uma chuteira de futebol para uma “pelada” com os amigos no final de semana. Se ele já for um esportista, invista em roupas com inspiração no tema, como moletons, jaquetas, bermudas, mochilas ou mesmo camisetas, que servem para qualquer situação informal.

Abotoaduras, relógios e blazers são para homens clássicos
Já reparou que certos assessórios parecem que desapareceram e voltam com força? É o caso das abotoaduras, que estavam há muito tempo em desuso e por causa da onda retrô da moda e de seriados como “Mad Men”, trouxeram de volta estas pequenas joias usadas para fechar punhos de camisas. É uma sugestão de um presente para homens clássicos ou para aqueles que querem estar preparados para alguma situação especial, como comemoração de bodas de casamento com sua mãe. Costumes (paletó e calça) e blazers, camisas sociais e relógios são outros itens que podem completar a lista para quem quer dar um toque tradicional ao presente.

Tags: , , , , ,
Postado em: 7 de agosto de 2012 - Publicado em Moda Masculina

Prestes a completar 90 anos, Pierre Cardin não quer nem pensar na data. “Não vamos falar disso, aniversário é para jovens. Eu quero é beber champanhe”, disse o estilista, com uma taça na mão, neste domingo (1), no palácio Brongniart. A comemoração hoje é outra: a coleção que acaba de apresentar em Paris, dentro da Semana de Moda Masculina, depois de dois anos de ausência nas passarelas. Em entrevista, Cardin disse que seu objetivo é “morrer trabalhando”.

Com mais de 60 anos de experiência e um lugar notável na história da moda, Pierre Cardin não se ajusta às imposições do calendário de desfiles. A coleção que apresentou não tem estação definida, não se restringe aos homens nem segue tendências. Foram 110 looks em cerca de 45 minutos de desfile, uma eternidade para o padrão frenético das semanas de moda, exibidos por modelos descontraídos e sorridentes. “A roupa é para ser vestida por pessoas de verdade, não soldados de chumbo andando na passarela”, afirmou. “Quero mostrar a realidade”.

E a realidade de 2013, para o estilista, é fiel a seu estilo. Nesta coleção, ele revisitou vários clássicos, como as formas bastante estruturadas, muitas vezes circulares, os recortes geométricos, detalhes em borracha, textura de gomos ou ainda os vestidos ondulantes com aros na saia. O carro-chefe foram os casacos sem mangas que, usados sobre uma roupa preta justa, lembravam seus icônicos cosmocorps da década de 1960.

Em entrevista ao Terra, Pierre Cardin – que disse adorar o Brasil e arriscou até algumas frases em português – negou que suas criações estejam presas ao passado. “O que me inspira é o que não existe”.

Para quem inventou o conceito de prêt-à-porter, a moda unissex e o licenciamento de marcas – que o tornou uma das grandes fortunas da França -, será que ainda existe espaço para revolução? “A revolução é isso que você acabou de ver”, disse. “São homens e mulheres com os braços de fora, são os sem mangas” – ou os “sans manches”, em francês, uma referência aos “sans culottes” da Revolução Francesa.

De volta ao passado ou de olho no futuro, o fato é que Pierre Cardin ainda atrai as atenções, mesmo que seja mais em reverência à sua trajetória do que na expectativa de uma nova revolução. Aplaudido de pé ao final do desfile, ele parece satisfeito. “Meu prazer é meu trabalho”, disse o criador, e garante nunca ter pensado em se aposentar. “Se eu quisesse me aposentar, já o teria feito há muito tempo. Mas vou me aposentar para quê? Para me entediar? O objetivo da minha vida é morrer trabalhando”.

Tags: , , ,
Postado em: 1 de agosto de 2012 - Publicado em Novidades

Em uma apresentação simples ao ar livre, a coleção criada pelo estilista brasileiro Gustavo Lins mostrou roupas confortáveis e, ao mesmo tempo, sofisticadas nesta sexta-feira (29), terceiro dia da semana de moda masculina de Paris. A coleção traz bermudas em malha misturadas a peças de alfaiataria com cortes mais elaborados.

Reafirmando a tendência esportiva das coleções masculinas de verão já mostradas nas passarelas de Milão e Paris, o futebol foi referência para os tênis pretos que acompanharam quase todos os looks, resultado da parceria do estilista com a marca brasileira Penalty.

Verão sóbrio

Em uma coleção quase toda em preto e branco, o estilista Boris Bidjan Saberi explorou as formas em paletós e camisas que lembravam dobras do origami, deixando caimentos mais fluidos para as calças, sempre curtas, e bermudas. O clima era industrial e futurista, com modelos caminhando maquinalmente entre o público.

A coleção masculina apresentada pela grife japonesa Comme des Garçons também trouxe muito preto, branco e cinza, mas quebrados por estampas variadas e toques de dourado que, em conjuntos inteiros de calça e camisa, se escondiam sob casacos longos.

Com mais dois dias pela frente, a semana de moda masculina de Paris terá nomes de peso neste sábado (30), incluindo Dior Homme, Kenzo e Maison Martin Margiela.

Matéria: Daniela Fetzner

Tags: , , , ,
beagle--logo
logo8
logo7
logo6
logo4
logo3
logo1
logo2